Portal do IPCO
Plinio Corrêa de Oliveira
IPCO em Ação

Acesse sua conta

Logo do Instituto Plinio Corrêa de Oliveira
Instituto

Plinio Corrêa de Oliveira

15/05 – Santo Isidoro ou Isidro Lavrador, Confessor

Foto: Instituto Plinio Corrêa de Oliveira
Por Instituto Plinio Corrêa de Oliveira

há 2 anos3 min


Santo Isidoro ou Isidro foi um camponês espanhol que nasceu perto de Madri, por volta do ano 1070. Estava a serviço de um certo Juan de Vargas, em uma fazenda nas proximidades da atual capital espanhola.

Inimigo dos mouros. Grande esmoler apesar de ser pobre, casto embora casado, viveu em perfeita continência apos o milagre com o filho. Uma piedade sincera e profunda, o fez preparar-se para a morte com abrasado amor.

Todas as manhãs, antes de ir trabalhar, Isidoro ia ouvir missa em uma das igrejas de Madri. Um dia seus companheiros de trabalho reclamaram com o patrão que Isidoro estava sempre atrasado para o trabalho pela manhã. Após investigação, assim corre a legenda, o mestre encontrou Isidoro em oração, mas viu que um anjo manejava o arado em seu lugar. Em outra ocasião Juan Vargas viu um anjo em cada lado do santo, arando em seu lugar, de modo que o trabalho de Isidoro era igual ao de três de seus colegas de trabalho juntos.

Consta que o Santo ressuscitou a filha de seu mestre, e que fez uma fonte de água fresca irromper da terra seca a fim de se dessedentar.

Santo Isidoro era casado com Maria Torribia, também santa canonizada, que é venerada na Espanha como “Maria dela Cabeza”, pelo fato de que sua cabeça frequentemente é levada em procissão especialmente em épocas de seca. Eles tiveram um filho, Illán, que morreu em sua juventude, e que também mereceu a honra dos altares.

Em uma ocasião, esse filho caiu em um poço profundo e, pelas orações de seus pais, diz-se que a água do poço subiu miraculosamente ao nível do solo, trazendo a criança consigo, viva e sã. Então os pais, em agradecimento por essa graça recebida,  fizeram o voto de continência, passando a viver em casas separadas.

Apesar de serem eles mesmos pobres, a caridade do casal era extrema, e pode-se considerar um milagre a quantidade de esmolas que davam. Narra-se que um dia, tendo eles distribuído aos pobres tudo que tinham, apareceu um a quem não podiam recusar a esmola. Santa Maria, tendo buscado por todos os escaninhos, declarou ao marido a impossibilidade em que estavam de socorrer o necessitado. “Tu não tens confiança, disse-lhe Isidoro. Procura com um pouco mais de fé, e acharás algo que dar de esmola”. Uma abundância milagrosa surgiu então na humilde casa, pelo que foi possível atender não só àquele, mas a muitos outros pobres. A santa compreendeu quanto a caridade torna a confiança eficaz.

Tendo caído doente, Santo Isidoro previu que chegara a hora de ir para o céu receber a recompensa demasiadamente grande que Deus reserva aos que O servem, e preparou-se para ela com novo fervor. Enfim, abrasado no amor de Deus e cheio de virtudes, ele faleceu no dia 15 de maio de 1170, na idade de cerca de cinqüenta e cinco ou sessenta anos.

Quarenta anos após sua morte, seu corpo foi transferido do cemitério para a igreja de Santo André. Diz-se que ele apareceu ao rei Afonso de Castela, e lhe mostrou um caminho oculto pelo qual surpreenderia os mouros, o que fez com que o monarca obtivesse a vitória de Las Nevas de Tolosa, em 1212.

Quando o rei Filipe III de Espanha foi curado de uma doença mortal tocando as relíquias do santo, ele substituiu o antigo relicário em que estava o corpo de Isidoro, por outro riquíssimo todo prateado.

Isidoro foi canonizado por Gregório XV em 12 de março de 1622, juntamente com Santos Inácio, Francisco Xavier, Teresa e Filipe Neri.

São Isidoro é muito venerado como patrono dos camponeses e dos operários. As cidades de Madri, Leon, Saragoça e Sevilha também o homenageiam como seu patrono. O Martirológio Romano Monástico afirma que “o corpo do santo foi encontrado intacto cinco séculos após sua morte, e Isidoro recebeu as honras da canonização em 1622, a pedido do rei Felipe III”.

Detalhes do artigo

Autor

Instituto Plinio Corrêa de Oliveira

Instituto Plinio Corrêa de Oliveira

2513 artigos

O Instituto Plinio Corrêa de Oliveira é uma associação de direito privado, pessoa jurídica de fins não econômicos, nos termos do novo Código Civil. O IPCO foi fundado em 8 de dezembro de 2006 por um grupo de discípulos do saudoso líder católico brasileiro, por iniciativa do Eng° Adolpho Lindenberg, seu primo-irmão e um de seus primeiros seguidores, o qual assumiu a presidência da entidade.

Categorias

Tags

Esse artigo não tem tag

Comentários

Seja o primeiro a comentar!

Tenha certeza de nunca perder um conteúdo importante!

Artigos relacionados