Portal do IPCO
Plinio Corrêa de Oliveira
IPCO em Ação

Livro: Uma brecha na barragem - A infiltração do lobby LGBT na Igreja

Nova catedral em estilo tradicional emociona fiéis nos EUA


St Catherine of Siena Catholic Church, interior, in Wake Forest, NC

A diocese de West Raleigh, nos EUA, deu a conhecer o projeto de sua nova catedral. O bispo diocesano, D. Michael Burbidge, explicou que o plano corresponde aos desejos dos paroquianos e por isso atraiu o apoio econômico da comunidade, informou News Observer.com

A catedral do Santíssimo Nome de Jesus, de fato, desafia o “politicamente correto” em arquitetura religiosa e não se inscreve na categoria dos prédios qualificados de “feios como o pecado” pelo arquiteto Michel S. Rose.

A nova catedral será construída em estilo neorromânico, evocativo do românico medieval, e custará por volta de U$ 41 milhões.

É muito pouco se comparado com as extravagantes catedrais feitas no “espírito do Concílio Vaticano II”, da “Igreja pobre” e “aggiornata”, como por exemplo, as projetadas pelo engenheiro Calatrava, hoje às voltas com a Justiça por ganhos indevidos.

O bispo diocesano sempre disse que faria a catedral que o “povo de Deus nos permitiria construir”. E o povo de Deus recusou os engenhos futuristas com ar de qualquer coisa menos de Casa de Deus.

D. Burbidge acrescentou que os fiéis já contribuíram com 75% do orçamento e que a catedral começará a ser erguida no mês de dezembro num terreno de 39 acres. Sua construção levará dois anos.

A catedral do Santíssimo Nome de Jesus, com capacidade para 2.000 fiéis sentados, substituirá a venerável e simpática Catedral do Sagrado Coração, que com sua capacidade para 300 pessoas é a segunda menor catedral do país, comparando-se a uma bela capela. 

Uma grande torre com sinos e um largo conjunto de dependências completa o projeto. 

Os planos da catedral são do arquiteto James O’Brien, da O’Brien and Keane, estúdio que desenhou em estilo definidamente românico a igreja de Santa Catarina de Siena, em Wake Forest, muito apreciada pelos fiéis. 

Mas o povo preferia um projeto anterior, ainda mais grandioso em tamanho e beleza, também em estilo tradicional com notas medievais.

Talvez a ojeriza modernista a despesas elevadas – neste caso justificadas e arcadas pelo povo – tenha pesado na decisão do bispo diocesano. 

Os fiéis acham que um projeto majestoso seria mais sensato, considerando-se a rápida expansão do catolicismo na região leste do estado de Carolina do Norte, onde fica a diocese.

Os católicos diocesanos registrados somam atualmente 214.000 e a projeção é que seu número duplique em menos de 20 anos, glosou D. Burbidge.

“A coisa mais linda que ouvimos é que o povo julga que precisamos uma igreja grande”, disse.

A diocese desejou criar uma catedral bela, fora do tempo. Portanto, não comparável às igrejas modernas que se sobressaem pela extravagância, que logo ficam desagradavelmente velhas e são desertadas pelos fiéis.

No projeto final foi acentuada a forma de Cruz do conjunto e incorporados antigos vitrais e estações da Via Sacra recuperadas de antigas igrejas de Philadelphia, onde o modernismo vem fechando as igrejas históricas, nas quais a fé está impressa na arte, e, em consequência, afastando os fiéis da prática religiosa.

A antiga catedral será preservada como paróquia. Seu nobre estilo é bem recebido numa região pobre.

Henry Zaytoun Jr., fiel da diocese, lembrou-se da época em que todos os fiéis cabiam num só local, e se emocionou considerando que uma tão grande catedral agora é necessária. “Nós achamos que é uma grande graça e uma honra participar de algo como isto”, acrescentou. 

Detalhes do artigo

Autor

Luis Dufaur

Luis Dufaur

1043 artigos

Escritor, jornalista, conferencista de política internacional no Instituto Plinio Corrêa de Oliveira, webmaster de diversos blogs.

Categorias

Tags

Comentários

Seja o primeiro a comentar!

Comentários

Seja o primeiro a comentar!

Tenha certeza de nunca perder um conteúdo importante!

Artigos relacionados