Portal do IPCO
Plinio Corrêa de Oliveira
IPCO em Ação

A caravana do IPCO começou

Líder Macuxi: Sínodo discrimina índios não alinhados à Teologia da Libertação


Em Roma, Jonas Macuxi, chefe indígena, mostra as contradições do Sínodo.

         “Vim aqui para dizer que os povos indígenas querem liberdade econômica, dignidade humana, querem trabalhar, crescer e ser respeitados”,  diz para uma plateia de uma centena de pessoas, entre elas o cardeal americano Raymond Burke.

Palavras fortes, respeitosas e esclarecedoras, Jonas Marcolino, lider do grupo étnico Macuxi, da região de Roraima, participou de uma conferência ‘Amazon: The Stakes’, em Roma.

Sínodo discrimina índios não alinhados à neo-missiologia

      Prossegue o chefe Macuxi: “Lamento que, para o Sínodo que será inaugurado neste domingo, não tenha sido convidado nenhum indígena que pense diferente da corrente desses missionários”, disse à AFP o indígena brasileiro Jonas Marcolino, paralelamente a um encontro realizado em um hotel elegante e central da capital italiana”.

“O que a Igreja (progressista) pede em nossa região é odiar o branco, proibir a abertura de estradas, de eletricidade. É que mostra ódio e não pode ser assim”, afirma, ao se referir à corrente teológica que, segundo ele, apoia-se “no marxismo e no antagonismo entre as classes sociais”. (1)

Raoni é midiático; não representa os índios

        O líder indígena, Jonas Maguxi “alertou que os líderes indígenas que se encontraram com Sua Santidade – como Raoni, o chefe de mídia dos Kayapo – não representam a multidão de cidades da região.

        Alertou também, o chefe dos Macuxí em Roraima “que ambientalistas, ONGs e missionários da Teologia da Libertação “pregaram o conflito” na Amazônia e estão “desmantelando” todo o trabalho realizado pelos primeiros missionários católicos.

            Canibalismo e infanticídio … “porque devem permanecer no seu estado primitivo”

         Prossegue com uma denúncia: não me permitem encontrar a tribo “depois de saber que eu fundei a associação para a proteção dos povos indígenas”.

         “Ainda hoje algumas tribos praticam canibalismo e infanticídio, é porque os antropólogos lhes dizem que devem permanecer em seu estado primitivo, aquele que parece tão idílico e enganosamente interpretado no documento de trabalho do Sínodo (Instrumentum Laboris).

         E acrescenta: “Ontem eu estava andando por Roma e pensei: o Sínodo selará o destino da Amazônia. Muitos dos indígenas convidados ao Sínodo foram doutrinados para permanecer em seu estado primitivo.

Vídeo da conferência:

Fonte: https://istoe.com.br/contrassinodo-em-roma-critica-o-papa-sobre-amazonia/

Fonte: https://infovaticana.com/2019/10/05/jefe-amazonico-denuncia-que-el-sinodo-dejara-a-las-tribus-condenadas-a-su-estado-primitivo/

Detalhes do artigo

Autor

Marcos Machado

Marcos Machado

470 artigos

Pesquisador e compilador de escritos do Prof. Plinio. Percorreu mais de mil cidades brasileiras tomando contato direto com a população, nas Caravanas da TFP. Participou da recuperação da obra intelectual do fundador da TFP. Ex aluno da Escola de Minas de Ouro Preto.

Categorias

Tags

Esse artigo não tem tag

Comentários

Seja o primeiro a comentar!

Comentários

Seja o primeiro a comentar!

Tenha certeza de nunca perder um conteúdo importante!

Artigos relacionados