Portal do IPCO
Plinio Corrêa de Oliveira
IPCO em Ação

Sete de Setembro, Terços Públicos contra o Comunismo: Brasil revive sua Identidade (II)


Os milhões que lotaram as ruas, nesse bicentenário da Independência, as cores verde-amarelo que deram o tom de brasilidade nos atos públicos foram compartilhados pelas redes sociais. O Brasil inteiro ficou sabendo — e constatou, mais uma vez — o inteiro divórcio entre a grande mídia e a realidade nacional. Por que a grande imprensa insiste na contramão da História? Quem é o grande produtor nacional de notícias falsas, omissões escancaradas, “fake news” senão a grande midia?

Menti, menti, alguma coisa sempre ficará escreveu Voltaire. Também é verdade que, pelo contrário, o povo brasileiro se distanciou do (ex) IV Poder, a Imprensa.

O Brasil acordou para sua identidade nacional

A inciativa do Instituto Plinio Corrêa de Oliveira — de promover Terços Públicos contra o comunismo, marcando assim sua presença nas manifestações patrióticas do Sete de Setembro — contribuiu para acentuar a nota de catolicismo nos eventos pela Pátria. Os valores morais, — a rejeição às esquerdas com seu programa destruidor da Família, da promoção de agenda de gênero, do incentivo às invasões rurais e urbanas — emergem dessas manifestações: é o Brasil autêntico que veio para ficar.

Ai está, graças a Deus, a identidade brasileira, o aflorar para o consciente da missão histórica da Terra de Santa Cruz: “Esse ainda será um grande País!”

Constatamos, com pesar, que a Mensagem da CNBB, por ocasião de sua 59a. Assembleia, não discorreu sobre a Vocação do Brasil. Não enalteceu nosso papel na defesa dos Valores Morais, nem sequer nossa postura conservadora e cristã na Assembleia da ONU. O povo brasileiro acorda para o papel do Brasil no concerto das Nações, comemora seu bicentenário, enquanto a CNBB repete discursos gastos de igualdade, de pacifismo a todo preço (contra a legítima defesa), de ecologia integral.

Salvador, Curitiba, Campos, Montes Claros

Vimos, no Post anterior, a adesão aos Terços Públicos em São Paulo, Brasilia e Belo Horizonte.

Salvador, Curitiba, Campos dos Goitacazes, Montes Claros, entre outras cidades, também aderiram.

Em Campos, o núcleo do IPCO distribuiu ao público a Oração contra o Comunismo, de autoria do Prof. Plinio. Essa é a Oração que certo jornal não conseguiu identificar como anticomunista. (1)

  • 1°) O Decálogo nos manda “amar a Deus sobre todas as coisas”, “não tomar seu Santo Nome em vão” e “guardar os Domingos e festas de preceito”. E o comunismo ateu tudo faz para extinguir a Fé, levar os homens à blasfêmia e criar obstáculos à normal e pacífica celebração do culto;
  • 2°) O Decálogo manda “honrar pai e mãe”, “não pecar contra a castidade” e “não desejar a mulher do próximo”. Ora, o comunismo deseja romper os vínculos entre pais e filhos, entregando a educação destes em mãos do Estado. O comunismo nega o valor da virgindade e ensina que o casamento pode ser dissolvido por qualquer motivo, pela mera vontade de um dos cônjuges;
  • 3°) O Decálogo manda “não furtar” e “não cobiçar as coisas alheias”. O comunismo nega a propriedade privada e sua tão importante função social;
  • 4°) O Decálogo manda “não matar”. O comunismo emprega a guerra de conquista como meio de expansão ideológica e promove revoluções e crimes em todo o mundo;
  • 5°) O Decálogo manda “não levantar falso testemunho”, e o comunismo usa sistematicamente a mentira como arma de propaganda.”

(1) https://www.folha1.com.br/politica/2022/09/1284530-dia-da-independencia-tem-ato-de-apoio-a-jair-bolsonaro-em-campos.html

Porto Alegre, Salvador, Montes Claros

Recitação do Terço Público em Mntes Claros. Distribulção de mais de 2 mil impressos com a Oração contra o Comunismo

,***

Nossa Senhora Aparecida proteja o Brasil e o livre das garras da esquerda meras sucursais do imperialismo bolchevista.

Detalhes do artigo

Autor

Marcos Machado

Marcos Machado

476 artigos

Pesquisador e compilador de escritos do Prof. Plinio. Percorreu mais de mil cidades brasileiras tomando contato direto com a população, nas Caravanas da TFP. Participou da recuperação da obra intelectual do fundador da TFP. Ex aluno da Escola de Minas de Ouro Preto.

Categorias

Tags

Esse artigo não tem tag

Comentários

Seja o primeiro a comentar!

Comentários

Seja o primeiro a comentar!

Tenha certeza de nunca perder um conteúdo importante!

Artigos relacionados