Portal do IPCO
Plinio Corrêa de Oliveira
IPCO em Ação

A caravana do IPCO começou

A “religião” Oficial Da China é O Socialismo. E O Acordo Com O Vaticano?

O governo chinês convoca professores cristãos para um curso obrigatório de marxismo e pensamento de Xi Jinping, impondo uma união entre conduta, religião e marxismo.


A “religião” Oficial Da China é O Socialismo. E O Acordo Com O Vaticano?

Índice

  1. Marxismo, religião oficial

Professores cristãos de todo o país foram convocados (convocar não é convidar) à Pequim para participar de um curso obrigatório sobre o marxismo e o pensamento de Xi Jinping, informa BitterWinter. Em outras palavras, os comunistas compreendem e impõem uma união entre a conduta do cidadão, as religiões e o marxismo oficial. Xi Jinping entra, — à maneira de Hitler — estimulando um culto à sua personalidade, seus pensamentos precisam ser estudados e assimillados pelo infeliz povo chinês.

Os partidários da separação Igreja-Estado no Ocidente, fruto das doutrinas da Revolução Francesa, teriam muito a aprender com a ferrenha união que há — nos países comunistas — entre o Estado e a seita marxista. No Ocidente, conseguiram separar Igreja e Estado, julgando com isso terem feito um grande bem à Humanidade. Pelo contrário, na China comunista, o Estado é declaradamente ateu e o marxismo passa a ser a “religião” oficial.

Compreendamos isso, nós brasileiros, e trabalhemos para que os princípios católicos, a Lei Natural voltem a inspirar nossas leis, os costumes, a sociedade. Por exemplo, fazendo reverter as leis de esquerda que promovem o aborto; fortalecendo o direito de propriedade, reafirmando o direito primordial dos pais a educarem seus filhos.

Marxismo, religião oficial

“O Instituto Central do Socialismo foi fundado em 1956 pelo presidente (ditador) Mao para educar para o marxismo aqueles que não eram membros do Partido Comunista Chinês. Tornou-se a principal instituição educacional da Frente Unida.”

Sua ortodoxia ideológica é garantida pelo fato de operar “sob a liderança do Partido Comunista Chinês”. Ou seja, uma macaqueação do Papado, ditando sobre o povo chinês.

O atual reitor é Hao Mingjin, vice-presidente do Comitê Permanente da Assembleia Popular Nacional. O Instituto treinou mais de 100.000 alunos, muitas vezes por meio de cursos de curta duração e seminários.

Mais uma fornada de professores-chave de ateísmo

Segundo BitterWinter, “no dia 2 de junho, foi concluído no Instituto Central do Socialismo o “Curso de Formação de Professores-Chave das Escolas Teológicas Cristãs”. Professores cristãos foram convocados de todo o país para aprender sobre os princípios marxistas centrais, o 20º Congresso Nacional do PCCh e o pensamento de Xi Jinping sobre uma “nova era do socialismo”.

O pastor Lin Manhong, vice-diretor geral do Conselho Cristão da China e diretor do Departamento de Educação Teológica, presidiu a cerimônia de encerramento e explicou que o curso ajudou os professores a adquirir a necessária “cultura socialista avançada”. Certamente, o ex Frei Boff, os padres da TL poderiam fazer parte desse contraditório Departamento de Educação Teológica que faz apologia da “cultura socialista avançada”.

Sinicização e Acordo Provisório Vaticano-China

Nosso Site já tem abordado a palavra-talismã do PCCh, a sinicização. Do ponto de vista religioso, sinicização é a introdução do socialismo nas religiões, ou seja, transformar as religiões em instrumento do comunismo.

Esse pastor Lin Manhong é claramente um agente do PCCh: declarou “a “sinicização do cristianismo” implica que professores e alunos em faculdades bíblicas devem melhorar sua “consciência política” e estudar diligentemente os documentos do PCCh, particularmente os do 20º Congresso Nacional.”

* * *

A essa altura perguntamos: e o Acordo Provisório entre o Vaticano e o Paritido Comunista, renovado por duas vezes, prevê que o Clero católico tenha autonomia — Mandato divino, Ide e Evangelizai todos os povos — ou será submetido também à essa doutrinação marxista forçada?

A China, lembramos, não é representada pelo Partido Comunista; naquela infeliz Nação desde a Revolução Maoísta não existem eleições … isto é, desde 1949. Em outras palavras, ditadura ateia e materialista.

* * *

Para concluir, recordamos aqui quanta razão tinha o Prof. Plinio quando afirmou em seu livro Baldeação Ideológica Inadvertida e Diálogo que o comunismo é uma seita filosófica, ateia, materialista que quer impor ao mundo a perversidade de sua doutrina.

 uma seita filosofica atéia, materialista e hegeliana, a qual deduz dos seus errôneos princípios toda uma concepção peculiar do homem, da economia, da sociedade, da política, da cultura e da civilização; " – uma organização subversiva mundial: o comunismo não é apenas um movimento de caráter especulativo. Pelos imperativos de sua própria doutrina quer ele tornar comunistas todos os homens, e amoldar inteiramente segundo os seus princípios a vida de todos os povos. Considerada neste aspecto, a seita marxista professa o imperialismo integral, não só porque visa a imposição do pensamento e da vontade de uma minoria a todos os homens, mas ainda porque essa imposição atinge o homem todo, em todas as manifestações de sua atividade.

A aliança do governo Lula com a China está escancarada aos olhos de todos. Desalinhar o Brasil do mundo ocidental e lançá-lo, com suas riquezes, seu agro e, sobretudo, o povo nas garras do dragão vermelho — é contrariar formalmente os planos da Providência para a Terra de Santa Cruz.

Nossa Senhora Aparecida salvará o Brasil. Esse ainda será um grande País, modelo de Valores Morais, para a grandeza do mundo inteiro.

Fonte: Bitter winter

Detalhes do artigo

Autor

León de La Torre

León de La Torre

261 artigos

Categorias

Tags

Comentários

Seja o primeiro a comentar!

Comentários

Seja o primeiro a comentar!

Tenha certeza de nunca perder um conteúdo importante!

Artigos relacionados