Portal do IPCO
Plinio Corrêa de Oliveira
IPCO em Ação

Ave, cheia de graça!


A gravíssima crise moral que aflige nossa sociedade está refletida nos falsos prazeres que a vida moderna oferece e em busca dos quais correm sôfregas as multidões. Nem mesmo os tementes a Deus estão imunes aos efeitos dessa crise, que desvia do reto caminho que conduz ao Bem supremo e à felicidade eterna.

A atração pelos prazeres desordenados decorre do pecado original, que tornou nossos primeiros pais e toda a sua descendência sujeitos ao pecado, à doença e à morte.

A única exceção foi a Santíssima Virgem, escolhida para ser a Mãe de Deus. Nascida sem culpa original, conforme o atestaram o Anjo e Santa Isabel — “Ave, cheia de graça, o Senhor é contigo” e “Bendita és tu entre as mulheres e bendito o fruto do teu ventre”, o demônio nunca teve qualquer poder sobre Ela. Antes, pelo contrário, diante de Nossa Senhora ele é um eterno derrotado. É o que se comprova ao longo da História.

Na sua luta contra os albigenses radicados no sul da França, São Domingos de Gusmão se deparou com almas tão obcecadas e afastadas de Deus e da verdadeira Religião que, por orientação expressa de Maria Santíssima, começou a difusão da devoção ao Santo Rosário, e só assim se extirpou a heresia albigense (ou cátara) daquela região.

Nas batalhas de Belgrado (1456), Lepanto (1571) e Viena (1683), foi ainda Nossa Senhora quem deu a vitória às hostes católicas contra as insidiosas arremetidas dos sequazes de Maomé. E hoje, diante de uma Europa invadida por muçulmanos de todos os quadrantes — o que só foi possível pelo concurso de suas próprias autoridades civis e religiosas —, a salvação está novamente n’Aquela que é “mais terrível que um exército em ordem de batalha”.

Basta a humanidade se afastar da Mãe de Deus — levada talvez pelo falso temor de que a devoção a Ela poderia diminuir em algo Jesus Cristo, ou ainda para não desagradar a algum protestante — para que tudo comece a minguar.

Qual arca salvadora, prevendo o que ia se passar no mundo nesses últimos 100 anos, Nossa Senhora pediu oração, penitência e emenda de vida, bem como a consagração da Rússia ao Seu Imaculado Coração. Infelizmente a humanidade não correspondeu, e por isso está sendo assolada por toda sorte de calamidades, físicas de morais.

No entanto, além desses pedidos e da previsão de castigos, caso os homens não se convertessem, a Santíssima Virgem também prometeu o triunfo de Seu Imaculado Coração.

Detalhes do artigo

Autor

Padre David Francisquini

Padre David Francisquini

137 artigos

Pe. David exerce sua missão sacerdotal na Igreja do Imaculado Coração de Maria, em Cardoso Moreira (RJ). Entusiasta do livro Revolução e Contra-Revolução, do Prof. Plinio Corrêa de Oliveira, o Revmo. Pe. David sempre propagou os ideais deste insigne pensador e líder católico. Pe. David é autor de dois livros importantes para a defesa da família Brasileira: "Catecismo contra o Aborto" e "Homem e Mulher, Deus os criou".

Categorias

Esse artigo não tem categoria

Tags

Comentários

Seja o primeiro a comentar!

Comentários

Seja o primeiro a comentar!

Tenha certeza de nunca perder um conteúdo importante!

Artigos relacionados