Portal do IPCO
Plinio Corrêa de Oliveira
IPCO em Ação

Fiducia Supplicans: Biden aprova, Bispos reprovam

Esquerda e progressistas apoiam a Fiducia Supplicans, permitindo benção a duplas LGBT. Biden, Cardeal Cupich e outros alinhados com essa agenda; enquanto bispos da Zâmbia, Malawi, Cazaquistão e Bispo Auxiliar Athanasius Schneider defendem a moral tradicional.


Fiducia Supplicans: Biden aprova, Bispos reprovam

Bispos do Malawi rejeitam a Fiducia Supplicans

Índice

  1. Bispos rejeitam

Esquerda e progressistas são pró Fiducia Supplicans, era de se esperar. Biden, Cardeal Cupich, Fr James Martin alinhados com a agenda lgbt. De outro lado, defendendo a moral tradicional, a doutrina perene da Santa Igreja temos a Conferência Episcopal de Zâmbia, os Bispos do Malawi, o Arcebispo de Santa Maria de Astana, Cazaquistão, juntamente com o Bispo Auxiliar Athanasius Schneider e muitos outros.

* * *

Joe Biden, que preside a administração mais pró aborto da História dos EUA, apoia a Fiducia Supplicans assinada pelo Cardeal Fernandez e o Papa Francisco na qual permite a benção a duplas lgbt. Ele mesmo já presidiu uma “bênção” para dupla lgbt.

Embora o Cardeal Fernández deixe claro no documento que tais bênçãos não devem ser construídas como bênçãos “próprias do sacramento do matrimônio”, ele admite que:

A reflexão teológica do texto [Fiducia Supplicans], baseada na visão pastoral do Papa Francisco, implica um desenvolvimento real do que foi foi dito sobre as bênçãos no Magistério e nos textos oficiais da Igreja.
Cardeal Fernández

Afirma ainda o Cardeal que os casais do mesmo sexo que podem ser abençoados “imploram que tudo o que é verdadeiro, bom e humanamente válido em suas vidas e relacionamentos seja investido, curado e elevado pela presença do Espírito Santo”.

Bispos rejeitam

LUSAKA, Zâmbia (LifeSiteNews) – Os bispos católicos da Zâmbia instruíram as suas dioceses a não implementarem o recente documento do Vaticano sobre “abençoar” casais do mesmo sexo.

Os bispos observaram em um comunicado divulgado na quarta-feira, 20 de dezembro, que o novo documento de Roma, Fiducia suplica, “suscitou várias questões, confusões e ansiedades entre os fiéis e as pessoas de boa vontade, pois agora se tornou uma questão de permitir a bênção de “casamentos entre pessoas do mesmo sexo”.

Eles prosseguiram instruindo que “com base nas Sagradas Escrituras que apresentam os atos homossexuais como atos de grave depravação”, “a Conferência reafirma o ensinamento tradicional da Igreja que declara que 'os atos homossexuais são intrinsecamente desordenados e contrários à lei natural'. 'sob nenhuma circunstância eles podem ser aprovados.'

Bispos do Malawi condenam

Os bispos do Malawi esclareceram que “bênçãos de qualquer tipo e para uniões do mesmo sexo de qualquer tipo” não são permitidas, em linha com o ensinamento católico imutável de que a Igreja não pode abençoar sem relacionamentos plenos.

Relacionamento pleno quer dizer o casamento ou seja a união entre homem, mulher com a intenção de ter filhos.

Uma declaração oficial da Conferência dos Bispos do Malawi afirma que “para evitar criar confusão entre os fiéis, orientamos que, por razões pastorais, bênçãos de qualquer tipo e para uniões do mesmo sexo de qualquer tipo, não são permitidas no Malawi.

Bispo suíço refuta Fiducia Supplicans

O Bispo Marian Eleganti responde ao Papa Francisco:

Uma prática e união pecaminosa não pode ser abençoada. Portanto, permanece o caso de que uma prática e uma união pecaminosas não podem ser abençoadas porque contradizem a ordem da criação e a vontade de Deus e, em tal caso, a bênção não pode ser dada nem recebida frutuosamente.

(LifeSiteNews) – O Bispo suíço Dom Marian Eleganti respondeu à declaração do Vaticano Fiducia suplicans explicando as razões pelas quais casais do mesmo sexo não podem ser abençoados.

“O chamado magistério de Francisco, que é apresentado como algo novo e sem precedentes em contraste com a tradição, é um neologismo conceitual absurdo do Cardeal Fernández, porque os papas, assim como os bispos, são guardiões do ensinamento da Igreja e de sua tradição ininterrupta”, disse Eleganti. escreveu em um ensaio publicado por kath.net.

“As verdades são eternas e não mudam com o espírito da época. Em outras palavras, os papas e os bispos não trazem nada de próprio, mas interpretam a fé constante da Igreja segundo as linhas da tradição, sem romper com ela”.

* * *

No cenário da Conferência dos Bispos americanos, escreve LifeSiteNews, até agora, D. Joseph Strickland parece ser talvez a única voz entre o episcopado americano que condenou o documento do Vaticano. Ao emitir uma declaração em vídeo exclusiva para LifeSiteNews, Strickland instou à resistência ao apelo para conceder bênçãos para pessoas do mesmo sexo.

“Resistência” é o termo adequado, resistir não é contestar, não é revoltar. Pelo contrário, é fazer a defesa da doutrina imutável da Santa Igreja e reafirmar: non possumus, não podemos. Veja aqui a Declaração de Resistência da TFP face à política vaticana de aproximação com o comunismo.

* * *

Os Santos Apóstolos, Pedro e Paulo, São José, patrono da Igreja Universal, a Sagrada Família protejam a Santa Igreja contra a investida progressista que procura desfigurar a face da Esposa Imaculada de Cristo, Nosso Senhor.

Detalhes do artigo

Autor

Marcos Machado

Marcos Machado

474 artigos

Pesquisador e compilador de escritos do Prof. Plinio. Percorreu mais de mil cidades brasileiras tomando contato direto com a população, nas Caravanas da TFP. Participou da recuperação da obra intelectual do fundador da TFP. Ex aluno da Escola de Minas de Ouro Preto.

Categorias

Tags

Comentários

Seja o primeiro a comentar!

Comentários

Seja o primeiro a comentar!

Tenha certeza de nunca perder um conteúdo importante!

Artigos relacionados