Portal do IPCO
Plinio Corrêa de Oliveira
IPCO em Ação

Acesse sua conta

Logo do Instituto Plinio Corrêa de Oliveira
Instituto

Plinio Corrêa de Oliveira

Boris Johnson retira exigência de máscaras e passaportes Covid

Foto: Mathias de Albuquerque
Por Mathias de Albuquerque

há 1 ano2 min

Atualizado em: 2/18/2022, 7:43:54 PM



LONDRES (LifeSiteNews) – O primeiro-ministro do Reino Unido, Boris Johnson, anunciou que seu país deve adotar restrições mitigadas da COVID a partir de 27 de janeiro, eliminando a exigência legal de máscaras faciais e passaportes COVID para entrada em determinados locais, deixando aberta a possibilidade de empresas individuais “ voluntariamente” exigem a certificação vacina-COVID.

“Em um discurso de quarta-feira ao Parlamento, Johnson disse que o país entraria em uma fase de bloqueio facilitada conhecida como “Plano A”, declarando que a transição – programada para 27 de janeiro – marca o fim da exigência de usar coberturas faciais em qualquer ambiente, incluindo escolas”, informa LifeSiteNews.

Prudencial, respeitando a liberdade

As regras de auto-quarentena devem permanecer em vigor até pelo menos 24 de março, quando expira a obrigação legal de ficar em casa por pelo menos cinco dias após um teste positivo para COVID. Johnson disse que “espera muito não renovar” a regra, acrescentando que “buscará uma votação nesta Câmara para antecipar essa data”.

Apesar de parecer abolir a exigência legal de máscaras, o primeiro-ministro disse que o governo “continuará a sugerir o uso de coberturas faciais em espaços fechados ou privados, principalmente quando entrar em contacto com pessoas que normalmente não conhece, mas vamos confie no julgamento do povo britânico e não criminalize mais quem opta por não usar uma”.

Os fanáticos do passaporte sanitário querem criminalizar a livre opção de vacinas.

“Tendo analisado os dados cuidadosamente, o gabinete concluiu que, uma vez que os regulamentos caduquem, o governo não exigirá mais o uso de máscaras em nenhum lugar”, disse ele a uma câmara extasiada.

Empresas e organizações privadas ainda podem “escolher usar o COVID Pass do NHS [Serviço Nacional de Saúde] voluntariamente, mas encerraremos o uso obrigatório da certificação de status Covid na Inglaterra.”

***

Saúde não é sinônimo de ditadura sanitária. As esquerdas brasileiras já não poderão alegar o exemplo da Inglaterra … e, certamente, não quererão imitar a decisão do primeiro ministro Boris JOohnson.

O que pensar de Dioceses católicas que decretaram o Passaporte Sanitário até para sacerdotes, religiosos, diáconos … exercerem o ministério?

Fonte: https://www.lifesitenews.com/news/uk-johnson-drops-most-covid-restrictions-as-he-announces-move-to-plan-a-measures/?utm_source=top_news&utm_campaign=usa

Detalhes do artigo

Autor

Mathias de Albuquerque

Mathias de Albuquerque

150 artigos

Categorias

Tags

Comentários

Seja o primeiro a comentar!

Tenha certeza de nunca perder um conteúdo importante!

Artigos relacionados