Portal do IPCO
Plinio Corrêa de Oliveira
IPCO em Ação

Acesse sua conta

Logo do Instituto Plinio Corrêa de Oliveira
Instituto

Plinio Corrêa de Oliveira

Hungria protege inocência de crianças contra agenda lgbt

Foto: Barcelos de Aguiar
Por Barcelos de Aguiar

há 2 anos3 min

Atualizado em: 6/25/2021, 6:06:27 AM


A Hungria recentemente deu um grande passo para proteger as crianças de terem sua inocência destruída e serem sexualizadas pela propaganda LGBT nas escolas e pela pornografia nos meios de comunicação de massa.

Agora o país está sendo atacado pela mídia de esquerda e por ativistas LGBT radicais no governo e na sociedade secular.

Projeto contra agenda lgbt e pornografia infantil

“O projeto, que foi aprovado na semana passada, proíbe especificamente a exibição de material pornográfico ou conteúdo retratando homossexualidade ou transgenerismo para menores de 18 anos. Outras medidas incluem um registro de criminosos sexuais, regulamentos sobre educação sexual e políticas mais rígidas contra pornografia infantil.”

“ASSINE e COMPARTILHE esta petição que expressa concordância e respeito pelos desejos da nação soberana da Hungria de proteger seus filhos contra o ataque de propaganda de doutrinação LGBT e pornografia.

Esta política deve ser saudada como uma medida pró-ativa contra a máquina de propaganda liberal e LGBT que está constantemente invadindo as fronteiras da Hungria e que ameaça destruir completamente a civilização cristã.

Direito dos pais sobre educação dos filhos

Viktor Orbán, o primeiro-ministro da Hungria, disse o seguinte sobre a nova lei da Hungria:

“A atual campanha da esquerda contra a Hungria é mais uma prova de que hoje a esquerda é inimiga da liberdade, porque em vez da liberdade de expressão, eles querem o politicamente correto como definido por eles, e hegemonia de opinião em vez de um pluralismo de idéias.”

A nova lei húngara não entra em conflito com quaisquer ideais elevados ou leis europeias. A nova lei húngara simplesmente afirma claramente que apenas os pais podem decidir sobre a educação sexual de seus filhos. A educação nas escolas não deve estar em conflito com a vontade dos pais; deve ser, no máximo, complementar, sua forma e conteúdo devem ser claramente definidos e deve estar sujeito ao consentimento dos pais. “

A notícia de LifeSiteNews conclui: “ASSINE e COMPARTILHE esta petição urgente que apóia o governo da Hungria na aprovação desta medida pró-ativa de proteção infantil que proíbe a propaganda LGBT e a pornografia para menores de 18 anos.”

Da encíclica Divini Illius Magistri, de 31 de dezembro de 1929, de Pio XI:

“Diz o Doutor Angélico com a sua costumada clareza de pensamento e precisão de estilo: “O pai segundo a carne participa dum modo particular da razão de princípio que, dum modo universal, se encontra em Deus… O pai é princípio da geração, da educação e da disciplina, de tudo o que se refere ao aperfeiçoamento da vida humana’ (Suma, II-II, q. 102, a. 1).

A família recebe portanto imediatamente do Criador a missão e consequentemente o direito de educar a prole, direito inalienável porque inseparavelmente unido com a obrigação rigorosa, direito anterior a qualquer direito da sociedade civil e do Estado, e por isso inviolável da parte de todo e qualquer poder terreno.” https://www.pliniocorreadeoliveira.info/FAM_0103.htm#.YNVHPhGSmMo

***

Ver a imagem de origem

É ensinamento da Santa Igreja, é de acordo com a Lei Natural que os pais são primordial e diretamente os responsáveis pela educação dos seus filhos. O Estado não pode se antepor aos pais na educação dos filhos. Muito menos pode o Estado impor a agenda lgbt, a pornografia nas escolas, sobretudo em se tratando de menores de idade.

Nosso Senhor Jesus Cristo alerta a quem procura corromper os pequeninos por palavras ou obras, Melhor lhe seria que se lhe atasse em volta do pescoço uma pedra de moinho e que fosse lançado ao mar, do que levar para o mal a um só destes pequeninos. Tomai cuidado de vós mesmos (Lc. 17, 2).

Os projetos de homeschooling, as Pautas Conservadoras no Brasil foram engavetados na gestão de Rodrigo Maia. Aguardemos que o novo presidente da Câmara dê ouvidos aos anseios dos pais brasileiros que legitimamente reivindicam para si o direito sobre seus filhos. O Estado não é anterior à família, pelo contrário, decorre exatamente da existência delas.

Fonte: Hungary passes law against homosexuality, prime minister renews vow to ‘protect our children’ | News | Lifesitenews

Detalhes do artigo

Autor

Barcelos de Aguiar

Barcelos de Aguiar

300 artigos

Categorias

Tags

Comentários

Seja o primeiro a comentar!

Tenha certeza de nunca perder um conteúdo importante!

Artigos relacionados