Portal do IPCO
Plinio Corrêa de Oliveira
IPCO em Ação

Perseguição religiosa na China e o Acordo Vaticano-Pequim

Acordo Vaticano-Pequim: Cardeal Zen critica concessões ao governo chinês. Perseguição religiosa na China.


Perseguição religiosa na China e o Acordo Vaticano-Pequim

Sessão plenária do Comitê distrital do PCC de Jinshui

Escola Cristã Invadida e Fechada em Henan, recentemente, informa BitterWinter.

Se a midia nacional não informou … será consequência dos acordos Brasil-China?

Henan é a região da China onde temos a maior percentagem de cristãos não afiliados à Igreja das Três Autonomias, que é controlada pelo PCCh. Esta situação perturba fortemente o PCC e a repressão de todas as atividades cristãs independentes (não filiadas ao governo) é consequentemente mais dura do que noutras províncias.

Documentos fornecidos a ativistas de direitos humanos no final de Setembro confirmaram que a bem-sucedida escola cristã Yabo Academy, no distrito de Jinshui, em Zhengzhou, província de Henan, foi invadida e ordenada a cessar as suas operações — e multada em 27 mil US, uma quantia astronômica para a comunidade cristã independente em dificuldades.

Controle ditatorial e perseguição das religiões

Província de Henan especialmente perseguidaProvíncia de Henan especialmente perseguida

O “Aviso Prévio de Penalidade Administrativa” emitido pelo Gabinete de Assuntos Étnicos e Administrativos do distrito de Jinshui, na cidade de Zhengzhou, esclarece que a multa foi imposta com base no artigo 70 do Regulamento de Assuntos Religiosos de 2017.

O Artigo 70 (do Regulamento de Assuntos Religiosos de 2017) estipula, inter alia, que quando “o ensino e a formação religiosa são realizados sem autorização, o departamento de assuntos religiosos, juntamente com os departamentos relevantes, deve ordenar a

Cardeal ZenCardeal Zen
  • interrupção das atividades,
  • pode impor uma multa simultânea entre 20.000 e 200.000 yuans, (no caso foi imposta a multa maxima)
  • e deve confiscar os ganhos ilícitos, se houver;
  • onde um crime é encontrado, a responsabilidade criminal é exercida de acordo com a lei.”

E a situação da Igreja Católica na China, decorrente do Acordo Provisório Vaticano-Pequim? O Cardeal Zen (resignatário de Hong Kong) afirma que ele é desastroso para a Igreja e o PCCh força os católicos fieis à Roma a se ingressarem na chamada igreja patriótica, criada pelo partido comunista.

O Cardeal Zen recebeu no dia 7 de abril 2018 em Bonn, antiga capital da Alemanha, um prêmio concedido pela Fundação Stephanus aos cristãos perseguidos — Stephanus Stiftung für verfolgte Christen. [foto ao lado]

Em seu discurso de agradecimento, ele explicou que a Secretaria de Estado do Vaticano, liderada pelo Cardeal Pietro Parolin, está disposta a fazer concessões absurdas ao governo comunista. O acordo contemplaria a nomeação de bispos pelo governo chinês. O Papa só teria direito de veto. Devido às distâncias geográficas e às complicações da realidade chinesa, isso significaria que o Papa praticamente não teria influência.

Nossa Senhora, imperatriz da China libertai aquele povo das garras do dragão vermelho.

Fonte: Bitter winter

Detalhes do artigo

Autor

León de La Torre

León de La Torre

261 artigos

Categorias

Tags

Comentários

Seja o primeiro a comentar!

Comentários

Seja o primeiro a comentar!

Tenha certeza de nunca perder um conteúdo importante!

Artigos relacionados